ouvir histórias

Existe valor no saber OUVIR histórias?

Os grandes líderes são ótimos ouvintes e, portanto, minha mensagem hoje é simples – fale menos – APRENDA A CONTAR MENOS HISTÓRIAS — e escute mais –APRENDA A ESTRUTURA QUE JAZ POR DEBAIXO DAS HISTÓRIAS, PARA MELHOR INTERPRETAR O QUE LHE DIZEM. Os melhores líderes são ouvintes proativos, estratégicos e intuitivos. Eles reconhecem que o conhecimento e a sabedoria não são adquiridos falando, mas ouvindo.

Dê a si mesmo um momento e reflita sobre qualquer grande líder da humanidade que lhe venha à mente … você irá se deparar com pessoas muito habilidosas, líderes excepcionalmente treinados a sabem ler entre linhas de histórias, que têm uma capacidade quase estranha, quase mística, quase sobrenatural de entender o que não é dito, testemunhado ou ouvido.

 

Storytelling Corporativo

Um dos tantos desafio que enfrento ao ministrar Storytelling Corporativo, e que o formador ignorante das sutilezas da matéria nem se dão conta, são os méritos do desenvolvimento de das habilidades de escuta e interpretação de histórias. Normalmente, o líder pede, e o formador incauto concorda, em apenas desenvolver a habilidade de vomitar contundentes e – ouço isto toda hora – ir ‘direto ao ponto’. Que ponto? O ponto em que a vaidade do suposto líder o levará a dar um showzinho de contação de histórias? Uma palestrinha que se concluirá com aplausos lavados e enxaguados na hipocrisia?

 

Líderes Precisam Ouvir Mais Histórias

Quer se tornar um líder melhor? Pare de falar e comece a ouvir. Passe a entender história para compreender a história do outro. Ser líder não deve ser visto como uma licença para aumentar o volume de retórica. Em vez disso, repito, os líderes astutos sabem que há muito mais a ganhar ao se render às histórias do que dominar as histórias. Nesta era da comunicação instantânea, todos parecem estar com tanta pressa para comunicar o que tem em mente, que já não conseguem perceber o valor de tudo o que pode ser extraído das mentes dos outros. Mostre-me um líder que não reconhece o valor de ouvir os outros e vou mostrar-lhe um acidente monstruoso prestes a acontecer.

A grande falta para a maioria dos líderes é que não conseguem entender que o propósito da comunicação não é a mensagem, mas se envolver – E ISSO EXIGE ESCUTA. Não seja enganado ao pensar que ser ouvido é mais importante do que ouvir. A primeira regra na comunicação é procurar o entendimento antes de procurar ser entendido. A comunicação não é uma estrada de sentido único. Grandes líderes com quem tenho trabalhado têm reforçado este princípio básico de Storytelling, para eles, é imperativo nunca perderem a oportunidade de ouvir e interpretar as histórias alheias. Na verdade, nos meus treinamentos e formações, buscam como que agressivamente maneiras novas e melhores de ouvir. Se tenho um grupo de verdadeiros líderes identifico-os na hora, pois pedem que eu os ajude a entender histórias e envolverem-se com elas; os outros, querem ‘aulinha de Storytelling’, muitas vezes assistindo a uma palestra mais por obrigação ou curiosidade do que para aprender, um espetáculo em que o coitado que ministra o curso não passa de um palhaço a divertir o público ao redor do picadeiro.

O verdadeiro líder sabe que transmitir uma mensagem ad nauseum não terá o mesmo resultado nem resultado que se envolver em uma conversa significativa, mas isso pressupõe que entenda que a maior forma de partilhar uma história ocorre dentro de uma conversa e não numa palestra ou num ‘monólogo’. Costumo dizer que o conhecimento transformador não é adquirido batendo um lábio no outro e deixando um arzinho sair pela boca, mas removendo a cera da orelha.

 

Escuta Ativa

Quer, então, dar o primeiro passo para se tornar um líder-comunicador habilidoso? Regra simples, mais de bom-senso do que de Storytelling: leve sempre em consideração que é impossível enfiar o pé pela boca quando bendita boca está fechada. Em Storytelling, chamamos isto de escuta ativa.

Quer saber mais sobre como funcionam as histórias e as suas aplicações práticas? Comece por OUVIR as histórias dos seus clientes, concorrentes, colegas, subordinados e aqueles que se preocupam com você, para quem você tem importância. Aprenda a fazer perguntas e obtenha comentários nos momentos certos da história que lhe contam. Use a vasta gama de ferramentas disponibilizadas por meio dos princípios básicos do Storytelling para ouvir. O propósito de uma boa história intercambiada inteligentemente não é apenas levar vocês a se tornar mais bem informado, mas se tornar mais popular junto àqueles com quem interage.

 

Seguem-se cinco dicas para você se tornar um melhor ouvinte de histórias e tirar melhor tirar proveito delas:

  •  Deixe de se preocupar com o que você vai dizer e se concentre no que está sendo dito. Pode ter certeza, ninguém está interessado nas suas histórias. A maioria delas são ridículas, as demais, provavelmente, inapropriadas.
  •  Jamais esteja muito ocupado para ouvir: qualquer pessoa pode agregar valor ao seu mundo se estiver disposto a escutar. A sabedoria não vem apenas de colegas e daqueles acima de você – pode vir de qualquer lugar em qualquer momento, mas apenas se você estiver disposto a ouvir. Expanda a sua esfera de influência e aprenda com quem tem perspectivas e experiências que diferem da sua.
  •  Aprenda a interpretar as histórias não-verbais: as pessoas dizem tanto (se não mais) com suas ações, inações, linguagem corporal, expressões faciais, etc., como fazem com suas comunicações verbais.
  •  Não se esqueça de pensar porque alguém não está dizendo algo, por que não está se comunicando. Quase sempre uma mensagem não verbal e mais clara que a verbal.
  •  Lembre-se de que ouvir demonstra que você respeita os outros, sendo o primeiro passo na construção da real confiança e bom relacionamento. Poucas coisas rendem tanto na construção de um ambiente onde reina a boa vontade como o reconhecimento das histórias dos outros.

Benjamin Franklin certa vez disse: “Fale pouco, faça muito”. Na minha opinião, se você for optar por um bom treinamento em Storytelling em 2018, peça a quem for ministrar que o ajude a limitar as histórias que você vive querendo contar, grandes contadores de histórias ficam bonitinhos no Ted Talk e nos vídeos de venda digital; numa empresa séria, com uma liderança séria e inspiradora, que visa obter um grupo homogêneo e motivado de colaboradores em todos os níveis, segure o líder-papagaio dentro de si. Você não é ator nem palhaço. Você é LÍDER!

Claro, desenvolva-se, por todos os meios, como um especialista em Storytelling; mas peça, sobretudo, que o programa de desenvolvimento contemple técnicas eficazes — metade do tempo, pelo menos — que ajudem você a se tornar um bom ouvinte. O ouvinte ativo, pode ter certeza, é mercadoria rara.

***************************

James McSill

Um dos consultores de história mais bem-sucedidos do mundo, reconhecido e elogiado pelo seu vasto trabalho na América Latina, América do Norte e Europa, estendendo-se, agora, à Ásia. James, anglo-brasileiro, trilíngue e linguista por formação, tem mais de trinta e cinco anos de experiência na arte de conduzir autores a uma “história viável para publicação” e a sensibilizar líderes e organizações quanto aos benefícios do Storytelling como instrumento de trabalho e transformação. Fundador é diretor-executivo da McSill Story Studio (Inglaterra), foi pioneiro na indústria do livro e na consultoria de histórias, hoje estendendo-se a TV, Cinema, Teatro e parques temáticos. Autor de mais de duas dezenas de livros, é conferencista em reconhecidas convenções de RH e académicas (EUA, Brasil, México e Japão); conduz treinamentos, seminários, workshops e palestras, bem como consultorias privadas para indivíduos ou empresas em todos os aspectos do Storytelling, atingindo uma audiência de mais de vinte mil pessoas ao ano. James tem como missão levar o maior número possível de pessoas a entender que a história pode mudar a História, transformando vidas, proporcionando satisfação, bem-estar e felicidade.

Para saber a respeito de McSill e o seu trabalho, insira no Google «James McSill»

James McSill e a B Storytelling disponibilizam periodicamente cursos, workshops e consultorias em no Brasil:

  • Certificação Internacional em Storytelling
  • Workshop ‘Vamos Criar Histórias!’
  • Formação em Storytelling Corporativo
  • Consultoria empresarial

Para além disso, realizam-se formações e treinamentos à medida para empresas e organizações que necessitam de melhorar a sua comunicação. Consulte-nos para mais informações: contato@bstorytelling.com.br

Tags:
James McSill
James McSill
james@mcsill.com

Um dos consultores de histórias mais bem-sucedidos do mundo, autor, conferencista e filantropo.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.