entrevista de emprego

Histórias na entrevista de emprego?

Quando alguém sugere que você conte histórias em suas entrevistas de trabalho, não estão falando de um conto de um livro ou de uma história de “esse rapaz bonitão entra em um bar e…” que faz da convivência com amigos no fim de semana uma festa. As histórias que você deve estar pronto para contar são sobre coisas que ocorreram em cargos e posições anteriores, coisas que respaldam as habilidades e as qualificações que você descreveu em seu currículo.

 

A Narrativa

Este tipo de Storytelling (narrativa) também é chamado de «performance em histórias para entrevistas comportamentais», e você tem que estar preparado para desempenhar bem neste quesito no mercado de trabalho altamente competitivo de hoje. À medida que o desemprego aumenta e o crescimento do emprego permanece tão lento quanto os especialistas econômicos preveem, os empregadores possuem uma vantagem no processo de contratação. Uma vez que os gestores de RH têm muitos bons candidatos entre os quais escolher, espere que façam perguntas que demandem uma história bem contada, pois tentam garantir que contratam as pessoas certas.

O que isso significa para você?

Tenha muito cuidado com a forma como vende suas habilidades e habilidades em seu currículo. Para cada CV que você escreve, certifique-se de ter pelo menos uma história que possa apoiá-lo. Por exemplo, se você escrever no seu currículo profissional que você possui uma “capacidade em cumprir os prazos cruciais de um projeto, apesar de obstáculos e imprevistos”, esteja pronto para que o lhe façam uma pergunta comportamental como: “Descreva-me alguma vez em que encontrou um obstáculo que não havia imprevisto. O que você fez para superá-lo? ”

É quando você conta a sua história, que pode ser simples assim:

“Minha equipe estava terminando um relatório de várias páginas para o conselho de administração quando descobrimos novas informações que nos obrigaram a mudar radicalmente duas de nossas quatro recomendações. O conselho estava programado para se reunir dali a três dias, então convoquei uma reunião de emergência da equipe. Abordamos a nova informação e o seu efeito no relatório. Deixei claro que, naquele momento, esta era a principal prioridade para o grupo e que tudo o resto tinha que ficar em ritmo de espera até que pudéssemos discutir o relatório a tempo para a reunião do conselho. Fizemos isso na noite anterior à reunião, e eu apresentei os resultados no dia seguinte e recebi comentários favoráveis”.

Treinar, treinar e treinar

Se você não é um natural contador de histórias, comece a praticar. Não basta escrevê-la, recitá-la. Quando o gestor de RH pede um exemplo de «alguma vez » em que você usou uma habilidade específica, não pode gaguejar, balbuciar umas palavras que ninguém entende e suar frio, vendo a vaga que você tanto queria desvanecendo-se na sua frente.

Então, quando for solicitado a fornecer um exemplo pessoal, lembre-se de estruturar a sua abordagem usando os elementos cruciais de uma história. Incorporar essas peças-chave, certamente irá impressionar o entrevistador ― e talvez decida, até mesmo, se você será o candidato selecionado!

Conheça mais sobre James McSill

Post originalmente postado no LinkedIn de James McSill

James McSill
James McSill
james@mcsill.com

Um dos consultores de histórias mais bem-sucedidos do mundo, autor, conferencista e filantropo.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.