3 princípios de Storytelling em House of Cards

Não tem jeito, nós da B! somos mesmo viciados em filmes e seriados.
House of Cards é sucesso absoluto no Netflix, estrelando Kevin Spacey como protagonista e produtor executivo.

Mas não estamos aqui para te convencer a assistir a série (se bem que… sério, assista!) mas sim para relacionar a série com negócios!

Afinal, o que o  marketing pode aprender com a série?

Kevin Spacey falou para o Content Marketing World 2014, sobre a importância do storytelling, usando sua própria carreira como exemplo.

Falando sobre histórias e negócios, Spacey pergunta: “que história você quer contar a seus clientes e consumidores?”.

Nada vai dar certo no seu negócio se você começar focando somente no resultado que quer alcançar. Uma vez que você determina sua história, você deve examinar quais elementos vão fazer a sua história realmente boa.

Spacey explora e propõe três pilares que devem estar presentes em toda boa história:

1. Conflito – “Conflito cria tensão e deixa as pessoas engajadas em sua história”.

Como você cria conflito enquanto tenta vender seu produto? Faça com que seus clientes, consumidores e colaboradores se tornem os heróis, mostrando como eles superaram problemas e encontraram soluções para seus conflitos e dificuldades.

e7215a8dffe8baf0ad8b5f81a8e0f0a0

Momentos como este pedem por alguém que aja.

 

 2. Autenticidade– “Permaneça verdadeiro a sua marca e a sua audiência vai responder a essa autenticidade com entusiasmo e paixão”

Spacey continua:
“não é mais sobre quem você conhece ou quanto você pode gastar, mas o que você pode fazer. A sua audiência quer historias. O que você pode fazer com isso?”.

O conteúdo que você cria não precisa necessariamente ser o melhor conteúdo da face da terra, o mais épico e interativo. Comece pequeno, mas comece sempre se importando com o conteúdo e com a autenticidade deste.

962d9f21f9dbbe610c85a1d6cd39c935

Se você quer minha lealdade, então você deve oferecer a sua em retorno

 

3. A audiência – “Importa mesmo o que há por trás de um link, se ninguém clicar nele?”

Não crie conteúdo só por criar e não deixe que seu conteúdo exista em um vácuo. Você precisa trabalhar para sua audiência para que eles trabalhem por você. Isso significa trabalhar criatividade, distribuição, mensuração e interação. No ecossistema de criação de conteúdo, você não pode mais publicar no seu blog e não medir o impacto.
f679afffe7abe340c7a170173765eda3

Talvez eu esteja falando para a audiência errada

 

Ok… então se você conseguir unir esses 3 elementos no marketing de conteúdo, então magicamente você chega ao pote de ouro?

Não exatamente.

 

Não tenha pressa com seu storytelling!

 

No seu discurso, Spacey revela porque House of Cards fez questão de ser transmitido pelo Netflix, ao invés de pelas mídias tradicionais.

Eis o motivo: enquanto a série estava sendo produzida, todos os principais canais dos Estados Unidos estavam interessados em comprar os direitos pela série. Porém, todos os canais insistiram que fosse gravado um episódio piloto, para então efetivamente fecharem o contrato. Todos menos o Netflix. Bingo!

Spacey explica que a obrigação do piloto é desnecessária, servindo para limitar o processo criativo.

                          Principais ideias de Kevin Spacey  no Content Marketing World 2014

Essa foi a única razão de House of Cards não estar no horário nobre da AMC. O Netflix não exigiu um piloto, não pediu para eles revelarem todos os componentes da história em 45 minutos. Ao invés disso, deram liberdade criativa aos produtores da série, deixando-os revelar novos personagens e plot lines ao longo do tempo. Essa técnica de storytelling cria interesse e faz o espectador realmente interessado pelo futuro da série.

Crie valor à sua marca

O Netflix, ao dar sinal verde para House of Cards, mesmo sem um piloto gravado, deixou a equipe criativa livre para criar.

Spacey explicou porque ele ama o Netflix:
“eles valorizam a marca, acima de classificações ou regras arbitrárias, impostas pelas mídias tradicionais”
Imagine o conteúdo que você pode criar se você começar a volorizar a marca e o storytelling como uma virtude!
Os paralelos entre a mídia tradicional e o marketing não param por aí.

“Essa evolução da mídia vem de encontro aos criativos tendo mais controle da história do que jamais tiveram. Antigamente o poder era concentrado nas mãos de poucos: os estúdios, os executivos, as grandes companhias. Agora o paradigma está se rompendo e as marcas têm poder para influenciar na conversação.

“O mundo das noites de terças-feiras às 19h30min, isso está morto. Uma lança atravessou seu coração, sua cabeça foi cortada e sua boca foi recheada com alho. A audiência cativa se foi. Se você dá as pessoas esta oportunidade de assistir tudo em um dia, há motivos para acreditar que eles vão fazer isso.” — David Fincher, produtor da série.

Spacey vai além e diz que House of Cards é a a experiência mais divertida, criativa e gratificante que ele já teve na frente das câmeras. Imagine poder falar isso dos seus esforços em marketing! E se a sua marca tiver a habilidade de criar uma experiência tão criativa e gratificante quanto House of Cards? O seu marketing de conteúdo deve refletir essa estratégia!

Esqueça das obrigações e comece com o que você tem a dizer, da maneira mais autêntica e que provoque o maior engajamento com a sua audiência. Lembre-se, você não precisa de um piloto pra mostrar tudo logo na primeira introducao. Mude sua história baseado nas necessidades da sua audiência. Você deve conquistar a fazer a audiência te amar, mais do que fazer eles amarem seus produtos.

Engage seu público no nível pessoal, através do storytelling. Conteúdos específicos, marcantes, que toquem indivíduos e não consumidores. Se o que voce diz é marcante o suficiente para tocar uma pessoa, ele tocará várias. Você acabou de colocar sua audiência no centro, fazer deles os heróis da história. Não subestime o quão poderoso isso pode ser.

“Todo o conhecimento técnico do mundo não vai te salvar se você não for um bom storyteller.” – Kevin Spacey

cca332ef2c502cfcc402c4fdca19daec
Adaptado do original em inglês. Publicado originalmente em Blog Newscred
Gabriela Kinaske
Gabriela Kinaske
gabriela@bstorytelling.com.br

The relationship between people and marketing is becoming more and more multisensory. This means that the value of a brands exists and is sustained by emotional plans, coexisting with business plans and objectives. Storytelling uses emotional aspects of communication and is one of the most powerful ways to communicate a brand. Giving products and services an identity, by capturing and creating authentic stories, takes the public to an immediate connection. Knowing, understanding and reproducing the story of your brand is a strategy that follows the changes of a highly complex market.

No Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.