10 dicas de storytelling

10 Dicas de Storytelling

Histórias são tão velhas quanto o primeiro ser humano.

Na hora de utilizar histórias com um propósito definido: encantar, entreter, educar etc., há coisas de que te deves lembrar:

  1. Começa a história levantando uma questão instigante, que aponte para um dilema que, à primeira vista, pareça impossível de solucionar;
  2. Cria imagens claras para a audiência, nada de ‘escorregar’ para o lírico e obscuro;
  3. Lembra-te de que toda história é sobre uma personagem invulgar, a passar por problemas invulgares, aparentemente insuperáveis, para atingir um objetivo definido, que seja concreto e mensurável, satisfaça a audiência e seja memorável;
  4. Toda a boa história é a respeito de transformação/superação;
  5. Jamais usar linguagem difícil, as 7 mil palavras mais usadas em uma língua, normalmente, bastam para se contar as melhores histórias;
  6. Evita clichês, sê criativo nas imagens criadas;
  7. Não exageres nas metáforas;
  8. Leva a audiência, de cena a cena, a SENTIR, CONCLUIR o que se passa. Conta histórias que evidenciem incontestavelmente um facto, não adianta ‘dizer’ que um facto ocorreu;
  9. Escolhe um ponto de vista pelo qual a história será passada à audiência, se mudar o ponto de vista, deixa a mudança bem clara. Vale lembra que, se tiver mais de um ponto de vista, o foco da história é na trama, não mais numa personagem;
  10. Embora contar histórias seja natural a todos nós, usar histórias como um instrumento ou uma arma é uma ARTE a ser aprendida e praticada.

 

Conheça mais sobre James McSill

Post originalmente postado no Comunicação Mais Eficaz

James McSill
James McSill
james@mcsill.com

Um dos consultores de histórias mais bem-sucedidos do mundo, autor, conferencista e filantropo.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.